segunda-feira, 4 de abril de 2011

Sorrateiro


Não andava feliz esses dias, nem sequer um pouco otimista, estava naquela fase da desilusão. Parecia não passar com o tempo e não passava mesmo, estava ali parada, completamente imóvel esperando algo de maravilhoso acontecer. Agora meu coração estava vagando por aí, quem sabe encontraria algo ou alguém, quem sabe o mesmo se perderia e não achasse sua morada, torcia para que isso fosse possível, menos um sofrimento, menos magoa. Mas esse diacho sempre volta. Sorrateiro quase imperceptível, foi se propagando, inundando todo o vazio que havia naquele lugar. Sorrateiro quase imperceptível, você chegou, assim, de mansinho como uma música boa que embala a gente.